sexta-feira, 14 de junho de 2013

Trabalhadores da Construção civil de Belém realizam primeira assembleia da campanha salarial 2013

     

A avenida 9 de janeiro ficou lotada na tarde do dia 13/06. Mas se engana quem pensa que foi por conta dos carros. A rua ontem era dos operários da construção civil de Belém que realizaram assembleia para apontar as principais reivindicações da categoria para a campanha salarial de 2013. Aproximadamente 500 operários compareceram e votaram como prioridades, dentre outros itens, o reajuste salarial de 18,6%, plano de saúde sem ônus aos trabalhadores, cesta básica no valor de R$291,86 e reserva de 15% das vagas para mulheres. O vereador operário socialista, Cleber Rabelo (PSTU), esteve presente e colocou seu mandato à disposição dos trabalhadores na luta por melhores condições de trabalho.

    A campanha salarial dos trabalhadores da construção civil este ano é diferenciada. Além do sindicato de Belém, oito entidades compõem a campanha deste ano: Ananindeua, Marituba, Barcarena, Altamira, Mojú, São Miguel do Guamá, Tailândia e Santa Isabel. “Isso mostra que a categoria está unificada para enfrentar os ataques dos patrões. Os trabalhadores sabem que a chance de vitória é mais forte se estamos juntos”, disse Cleber Rabelo. Para ele, a contradição no setor da construção civil é muito forte já que de um lado o governo Dilma (PT) garante medidas que aumentam os lucros dos empresários do setor - como a redução de impostos para a compra de materiais e a redução da contribuição pro INSS, que foi de 20% para 2% - e de outro tenta aprovar leis que reduzem os direitos e aumentam a exploração dos trabalhadores.

   
O vereador também acredita que a campanha deste ano deve se dar tanto no âmbito econômico, como no âmbito político, já que pela primeira vez a categoria tem um porta-voz na Câmara de Vereadores. Segundo ele, o mandato do PSTU é de cada trabalhador e trabalhadora da construção civil e que, por isso, vai estar lado a lado dos operários na campanha salarial para derrotar a patronal e os governos e arrancar vitórias à categoria. Entretanto, ressaltou os limites da CMB e denunciou os vereadores que votam contra os trabalhadores de Belém e convidou a população a se indignar.

    “Na última terça-feira (11/06) o projeto de emenda do nosso mandato que propunha destinar 20% de casas populares do programa Minha Casa, minha vida – Viver Belém para os operários da construção civil, com prioridade para as mulheres foi rejeitado. A maioria dos vereadores, que apoia o prefeito Zenaldo Coutinho (PSDB) demonstrou que não merece a confiança do povo pobre e dos trabalhadores. Precisamos nos organizar e lutar não só por salários dignos, mas contra os governos que só votam leis para beneficiar os patrões e empresários”, afirmou.

Confira as principais propostas que vamos exigir dos patrões na campanha unificada:

  • 18,6% de reajuste salarial, onde o servente que ganha atualmente R$710,00, passaria a receber: R$842,00; o meio-oficial que ganha R$783,00, passaria a receber 875,00 e o profissional iria de R$983,00 para R$ 1.200,00. O valor do reajuste foi calculado de acordo com a inflação de Belém que é de 13,6%.
  • Cesta básica no valor de R$291,82
  • 15% de vagas para mulheres com qualificação e classificação
  • Plano de saúde
  • Delegado sindical de base
  • Valor da produção negociada com a presença do sindicato
  • Vale-gás
  • Regulamentação e limitação de trabalho aos sábados.


Para saber mais, acesse: http://www.sticmb.com.br/

2 comentários:

  1. Parabéns pela atuação, vereador Cleber! Torcemos pelo seu mandato junto aos trabalhadores. Só uma sugestão: se você quiser, compre esse domínio no blogspot. Aí seu blog será seu mesmo, entende? Custa apenas 10 dólares por ano.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Visite nosso site, temos caixa dagua metálica de todos os modelos e a entrega é feita em até 15 dias, preço de fabrica http://www.caixadaguametalica.com.br

    ResponderExcluir